Desregulação emocional

Todos nós sentimos emoções. Independente de serem agradáveis de se sentir (como alegria) ou desagradáveis (como medo), todas elas tem uma função na nossa vida. No entanto, não são todas as pessoas que possuem a habilidade de identifica-las, nomeá-las e utiliza-las efetivamente. Reconhecer as emoções é muito importante para o desenvolvimento de duas habilidades vitais: 1) regular a intensidade dela e, dessa forma, 2) conseguir direcionar o nosso comportamento para objetivos importantes de longo prazo, mesmo que tenhamos de conviver com alguma emoção desagradável de sentir.

Emoções envolvem: 1) uma resposta fisiológica, 2) um conjunto de pensamentos específicos, 3) impulsos de ação, 4) ações verbais e não verbais. Elas organizam e motivam a nossa ação sem que precisemos pensar exaustivamente em toda a tomada de decisões. A expressão da emoção também pode influenciar ações de outras pessoas. Isso é ótimo, mas também pode se tornar um problema.

É possível que você tenha comportamentos ditos impulsivos, pois atendem a necessidades de curto prazo, gerando problemas no longo prazo? Sabia que há uma habilidade necessária para poder experienciar e modificar as emoções sem que padrões de comportamentos gerem problemas no longo prazo? Essa habilidade se chama regulação emocional.

A regulação emocional envolve a capacidade de inibir o comportamentos impulsivos ou inapropriados relacionados a emoções intensas; capacidade de se auto organizar para desenvolver ações direcionadas para objetivos de vida, ao invés daquelas impulsionadas pela emoção sentida; conseguir reduzir a ativação fisiológica quando alguma emoção intensa for ativada; e conseguir alternar o foco da atenção quando estiver em uma resposta emocional intensa (Linehan, 2015). Quando ocorrem dificuldades em realizar qualquer um dos pontos acima, dizemos que temos uma resposta desregulada emocionalmente.

Desregular a emoção é algo normal quando for situacional, não levando a problemas intensos. Porém, algumas pessoas apresentam essa desregulação emocional constante, tornando-se um padrão e propiciando comportamentos que atendem às necessidades do momento e não à objetivos de vida. Nos casos mais intensos, essas pessoas terão comportamentos suicidas e auto lesivos sem intencionalidade suicida; relacionamentos instáveis e intensos com as pessoas; dificuldade em se manterem em projetos de longo prazo; sensação de vazio interior, entre outros.

Você ou alguém que você conheça sente ou faz isso?

A Terapia Comportamental Dialética (DBT, na sigla em inglês) tem por objetivo ajudar pessoas com desregulação emocional a se dirigirem a uma vida que valha a pena viver, desenvolvendo a habilidade de regular as emoções. A compreensão e o tratamento da desregulação emocional requerem profissionais especializados para uma intervenção empática, validante e firme, auxiliando na aceitação e orientação à mudança, e comprovadamente efetiva para a resolução do problema. Nós fazemos isso.

Ficou com alguma dúvida?

Se você ficou com alguma dúvida ou tem interesse em maiores informações, entre em contato com nossos profissionais.

Entrar em contato